Exibindo IMG_0339.jpg

                                                                               de Srta. Poesia;

Como escrever o homem?
Há horas desvelo, procurando uma nova essência.
Fazer o poeta não é fácil,
Noites se vão, e ele ainda está vazio.

Um autor deve ter sua originalidade,
O que torna o ofício ainda mais laborioso.
Pois os homens de hoje são escritos com a mesma sina;
Se apegam as coisas, pensam todos iguais.

O que escrever no meu incrível tecido textual?
Nessas folhas em branco, que maquinam as palavras,
Que tornam vivas as histórias delineadas,
Que chegam ao mundo pela maiêutica do autor?

Não o farei como os outros.
Talvez, um pouco mais de emoção e paixão.
Quem sabe, o sorrir para o mundo.
Ah, um espírito contestador! Seria bem original.

Nesse entrelaçar de ideias construímos a obra.
Os parágrafos são reescritos inúmeras vezes,
As páginas, em constante revisão.
É no acertar de vírgulas. Uma vírgula faz toda diferença.

Vida de poesia não é fácil.
Após um longo caminho, enfim, fazemos o poeta.
Damos a luz a obra,
E, com apertado coração maternal de autora,
A entregamos ao mundo, para que possa, por sua vez, fazê-lo.



 Exibindo IMG_0336.jpg

A estrada era de terra
E a terra era preta.
Por ela se passava a vida,
Estrada longa, estrada imprevisível.

Bifurcações, segmentos retilíneos.
Superfícies aplainadas, ladeiras difusas.
O caminho por cada um era feito de uma forma,
Mas só se caminhava sozinho.

Havia uma peculiaridade:
Não se podia andar para trás.
Passos a frente, levados pelo vento,
Cada um recrudescia o peso.

Via-se o caminho já percorrido,
Mas com o passar do tempo, era difícil enxergar o começo.
Estrada negra, longa.
As lembranças se apagavam.

Mas ela deixou um rastro de pólvora ao longo do caminho.
A pólvora era invisível na estrada.
Mas ainda estava lá.

Então, quase no fim da caminhada,
Onde já não restavam sentimentos, sensações, rostos, algo pelo que aspirar,
Ela acendeu uma faísca que tocou o chão.
E a chama que foi se ascendendo iluminou todo o caminho.

Agora via-se o começo, pois havia luz.
E o fino feixe de pólvora, na negra estrada de terra, resgatou todas as lembranças,
Momentos vividos ao longo da estrada,
Vida.




Matteo chega ao mundo aos plenos pulmões
começa sua dança pelos dias cuja música está a criar
a poesia e o amor de dois seres se faz carne
tornando realidade, sonhos bons

os sentimentos que ele terá
os sorrisos, as lágrimas
é impossível prever

sabe-se apenas que será um menino a sonhar

 Exibindo foto.JPG


Devia trocar de roupa,
Vestir a liberdade,
saia colorida, cheia de fitas.

Devia rodar essa saia,
Balançar os panos,
Fazendo ventar tudo ao redor.

Devia desfilar esse modelo,
Na frente dos antigos,
Os retraídos e submissos.

Devia lançar essa moda,
Liberdade pra viver, liberdade pra sentir.
Saia justa não. Saia leve e solta.

que em nossa pequena cabana
entre a lareira e calor de ti
a luz presente seja interior
Sussurros na Escuridão




Os seres nascem cheios de luz,
A luz que ao longo do tempo se esvai e dá seu lugar á escuridão.

O brilho que se perde retorna facilmente ao peito,
Mas as sombras que um dia entram nunca se vão por inteiro.

Ficam guardadas,
Ficam perdidas nos cantos das dimensões do inconsciente.

Nos tempos em que toda luz se vai,
Tudo o que resta, escondido profundamente, aflora e recobre, contorna como um furacão.

Um abraço de fantasmas, sombras, umbra em gradação;
Ventando névoa de lembranças e sussurros na escuridão.




E quando chegarmos lá, o que será de nós dois?

Que sempre colocamos todos esses sonhos acima de nós mesmos
Como se naturalmente quiséssemos alcançá-los sem respirar

Afinal, pra que serve respirar?
Podemos segurar a respiração abaixo da superfície
Existir entre os momentos em que estamos na faculdade
Viajar entre os vazios da nossa vida produtiva

E cada poesia que eu teceria seria sobre você
E cada palavra que eu dissesse em voz alta
Poderia viajar os continentes pra te alcançar

Can you "feel it coming"?

Entre todos os caminhos que explodiram na minha cara essa semana
Que sejamos reais

Mais que todos outros sentimentos, experiências e palavras
Que sejamos reais
Se você tem uma aplicação no Banco do Brasil (em algum outro banco ou em uma instituição financeira) como Tesouro Direto ou Ações, e você estiver pensando que talvez trocar de Agente de Custódia (como quem fica responsável por "gerenciar" sua aplicação se chama), esse tutorial rápido pode te ajudar.

Se você não sabe o que é Tesouro Direto, aqui uma postagem sobre o que estou falando
http://www.croatt.xyz/2016/04/educacao-financeira-basica-em-4.html

O processo todo é concluído em 2 etapas quando você sabe o que fazer:

1 - Preencha o formulário chamado
"Solicitação de Transferência de Valores Mobiliários (STVM)"

Ele pode ser obtido nesse link (o mesmo para todas corretoras)
www.xpi.com.br/como-comecar/transferencias/arquivos/modelo-sta.doc

Alguns detalhes no preenchimento:

  • Verifique no portal de investimentos do seu banco qual seu "Código de Investidor".
  • Verifique no portal de investimentos da correta que você quer trocar o campo acima.
  • Se você já criou a conta onde você quer trocar, você marca em "Sim" onde está escrito "Pessoa vinculada à instituição".
  • Verifique detalhadamente qual nome do ativo, o tipo, a quantidade e o valor. Exemplo de preenchimento:
    • Ativo: Tesouro IPCA+
    • Tipo: 2019
    • Quantidade: 0,10
    • Valor: 144,66
  • Assinale "mesma titularidade em outra instituição".
  • Assine apenas onde está escrito para o CEDENTE assinar.
  • Assine da mesma maneira que sua assinatura está no BANCO de quando você abriu a conta.
  • Marque que sobre essa transferência não incide imposto de renda.
  • ELA DURA 2 DIAS ÚTEIS NO MÁXIMO.
  • NÃO DEVE SER COBRADA NENHUMA TAXA a não ser que você deva algo.
  • PROCURE O CÓDIGO DA SUA CORRETORA NA BM&FBovespa antes de ir.

2- Vá ao Banco : Em qualquer agência

Munido do formulário corretamente preenchido, você irá ao banco. Inicialmente, quando você pronunciar as palavras "PORTABILIDADE DO TESOURO DIRETO" eles não entenderão. Falarão que não é ali, que é na sua agência. Mas não é por mal.

Eles apenas não estão preparados para atender essa solicitação.

Basicamente o que eles precisam fazer é (e você vai explicar isso pra eles) :
Escanearem sua solicitação e enviar para o Banco de Investimentos. No Banco de Investimentos, eles possuem uma função fácil para solicitar a portabilidade. 

Eles só do código da sua corretora no BM&FBovespa e do papel da solicitação que você preencheu no passo 1.

Pronto

No dia seguinte ou no outro você receberá um e-mail do Tesouro Direto confirmando a transferência.

Para um tutorial mais detalhado, visite:




New York, 05 de março de 2117

Estivemos prontos pro fim. Era uma tarde de março, nada de especial até aqui. Podia-se sentir o escorregar do dia. A tempestade radioativa havia passado, os animais começavam a sair da proteção das folhas nas florestas altas de New York. Havia pouco do passado aqui. Ouvíamos lendas que a civilização havia escapado nessa região do globo, atravessamos a pé o planeta por mais de dois anos pra chegar aqui. Mas é claro que não havia esperança.

Os velhos deuses estavam esquecidos há muito tempo. Conseguimos ver o deus Liberdade enterrado sob escombros e vegetação. A vida que existia ali eram aqueles pequenos macacos que andavam pelos lugares. Sem o controle humano, os animais voltaram a reinar sobre a terra. Os terrenos mais planos e livros possibilitavam animais maiores de procriarem. Enquanto as cidades densas e com diversos obstáculos rapidamente foram tomadas por cipós, árvores frutíferas e animais pequenos e ágeis.

Não sei porque ainda uso o plural. Talvez esperança de que eu não esteja só. Não avisaram que a vida seria assim. Estávamos esperançosos, alguém deveria ter feito algo. Depois da morte de Elon Musk, não houve mais "futuro para sonhar". A SpaceX foi a primeira a falir, depois de 3 lançamentos de foguetes que explodiram no ar. Em seguida veio a Tesla. Ninguém era capaz de unir os recursos necessários para parar o aquecimento global e muito menos realizar a exploração espacial. Como a vontade geral da burguesia era robotizar as funções das camadas mais baixas da sociedade e deixar que todos sufocassem no ar impuro, foi exatamente isso que aconteceu.

Não exatamente... primeiro a água foi contaminada, depois a terra, depois o ar. Não que isso mudasse as enormes quantidades de corpos espalhada pelos campos das áreas rurais. As pessoas tentaram sair das cidades, mas no campo a situação era pior. Os grandes latifundiários usavam drones pra jogar agrotóxicos sobre as plantações e o trabalho de colher era feito por grandes debulhadeiras automatizadas. Não havia emprego pra ninguém em lugar nenhum. Sem emprego, sem comida e sem chance de sobrevivência, de 11,2 bilhões fomos para pouco mais de 100 milhões. Sendo cerca de 1 milhão de sobreviventes como nós. Como eu. Os outros 99 milhões estavam em suas viagens astrais e pilates, lendo livros cheios de cultura e discutindo política, tomando coquetéis caros, fazendo orgias dionísicas e esquiando em qualquer lugar.

Mas afinal, qual o problema disso? Eles trabalharam, não é? Não. A sociedade não teria chegado até aqui se não fosse o trabalho conjunto de todas as classes, mas principalmente, da classe trabalhadora. 

Depois dessas lições marxistas, vejo que ainda me encontro olhando a "Estátua da Liberdade" submersa e pútrida. 

Não é como se houvessem muitos lugares pra ir. Dormirei aqui sob as ruínas urbanísticas de NY. E afinal, talvez essa pergunta seja a única coisa que me mova agora, o que encontrarei amanhã?


me pergunto constantemente estes dias como pequenas expressões claramente demonstram tudo que sentimos em relação à alguém
talvez seja uma maneira da minha mente dizer que estou ficando louco, ou dos meus amigos acharem que vejo coisas por demais
porém encontro nestes pequenos instantes a maioria das respostas que procuro

percebo, por exemplo, como meus amigos antes eram tão próximos e unidos, todos viviam uma relação simples de amizade e felicidade
a complexidade hoje permeia todas essas mesmas relações, alguns gostam um do outro, outros iniciam relações amorosas
existem alguns com maior afinidade e outros com menor afinidade por motivos de vida fundamentalmente escondidos no interior de cada um
é quase como se fosse uma dança constante entre os diferentes seres, buscando respostas pra perguntas que ninguém quer fazer

e de qualquer forma, teríamos nós um meio mais simples do que esse de viver?
a maior parte das relações releva uma infinidade de assuntos que romperiam aquele laço em qualquer instante
se esses mesmos laços fossem expostos, palavras seriam trocadas, corações sentiriam emoções fortes
e essas relações se tornariam mais fortes ou se romperiam ali mesmo, caso não fossem firmes

a fragilidade das relações que cito é como o choque entre diversos trejeitos que não foram feitos pra se encaixar
na verdade, os lugares onde elas se encaixam são como tomadas de diferentes formatos e sem adaptadores possíveis

na minha própria família, observo como algumas pessoas atiram outras no abismo na ignorância por uma simples divergência de opiniões

esses dias, estava lendo uma postagem sobre um livro que li há muito tempo atrás
o nome do livro é "Como Fazer Amigos & Influenciar Pessoas" de Dale Carnegie
ele basicamente te ensina como você consegue manter relações frutíferas e justas
e me recordei que ele cita como às vezes ganhar uma discussão significa perder uma relação

mas ao mesmo tempo, pelo outro lado não faz tanto sentido ser outra pessoa que você não é para agradar
afinal, de puxa saco o mundo está cheio, porque ser mais um?

claro que deve existir um equilíbrio...

mas... como tem sido difícil encontrá-lo

e se a única verdade que nos restasse nesse fim de tarde
estivesse entre as pausas das palavras, estas que quase não tomamos
significam mundos inteiros que ainda não entramos

tudo bem, não acalmamos as vontades do corpo pra entrarmos nas vontades da alma


todas os pequenos detalhes que percebo em ti
desde os olhos abertos cheios de cor quando está feliz
até quando algo te incomoda e teu corpo inclina um pouco pro lado
o som da tua risada ecoando dentro de mim

existe uma música que amo, ela se chama "Dream a Little Dream of Me"
é um blues clássico dos anos 50
sinto como se fôssemos feitos de pequenas partes de sonhos reunidos
formam nossa alma, jeito e personalidade

sonho com tuas frações de sonhos
que te formam tão bem
gravo cada característica
no meu peito elas dançam bem

And my heart beats so that I can hardly speak


the things that we don't speak about, matters the most to me
they ressemble the inner me that relates with your own soul
it's like we're the same in different bodies
we both have wings
we both know how to fly

so why don't we just fly away?
"come fly with me" plays so right tonight


sentados sentindo o mundo girar ao nosso redor
nos fundos de um ônibus mal iluminado
te cochicho no ouvido sobre meu ser
confesso que mal percebi quando chegamos
confesso que nada disso estava nos meus planos

aos poucos sua presença permanece
como em um abraço bom, daqueles que se demora a soltar
os braços escorregando ao redor do corpo

abandone seus medos, criança
não há necessidade deles pra onde vamos