Tecnologia

by terça-feira, dezembro 01, 2009 1 comentário(s)
Nos últimos 100 anos, a humanidade avançou incrívelmente em tecnologia. Com esse avanço, diversas vidas foram salvas, utilizando tecnologia, para disponibilizar em hospitais o melhor nesse tipo de avanço.

Recentemente, foram desenvolvidas, tecnologia o bastante para transformar um ser humano em um robô, todos os procedimentos, estão em fase inicial, e com certeza, a filosofia, a igreja e diversas outras instituições, condenarão a transformação, assim como foi com a clonagem.



Reportagens com os temas Braço MecânicoOlho Biônico, e outras utilizando ratos na construção de robôs (Acesse http://video.msn.com/?mkt=pt-BR e digite na barra de pesquisa: "Rato Robô") entre diversos outros exemplos.


Então, vem a temível pergunta, você teria coragem de ser transformado em robô?


Há vídeos e muitas coisas, mostrando que os seres humanos são fortes, um deles é o comercial da empresa "Johnnie Walker" que é realmente muito interessante:




Afinal, humano ou robô? Qual seria sua escolha? 


A imortalidade, fria e gélida, mesmo com um incrível intelecto extraordinário, 
você não poderia sentir nada, como um beijo, um abraço, um sentimento real, amar.
Mas o ser humano mortal, com a vida sendo consumida a cada respiração, 
com o oxigênio destruindo todas as células a cada segundo que você vive, 
e a cada segundo mais perto da morte e muitas decepções te aguardam.


Ser humano,
é você ter todo o destino do mundo em suas mãos, 
você pode definir o destino de todo o Universo,
ou talvez somente o seu, 
com a simples vontade, com a simples escolha, 
e pode alimentar sua vida, com sonhos, 
com incríveis e necessários sonhos, e amar, 
se apaixonar, beijar alguém com toda intensidade 
e fazer com que sua vida necessária para que 
cada instante seja inesquecível, 
valeria a pena trocar isso?


Sinceramente, não sei, há opiniões para os dois lados. 
Mas que cada um se decida, afinal, todos temos liberdade para escolher.

Um comentário:

  1. Prefiro ser uma mera mortal, repleta de sentimentos, do que um robô com uma "pseudo" imortalidade... Afinal, o robô não vive... Não sente... E não tem dúvidas, apenas certezas!
    Bye!

    ResponderExcluir