O Planeta Esquecido - Parte 1

by domingo, abril 25, 2010 2 comentário(s)
O trecho abaixo, é uma parte do livro que eu estou escrevendo. Chamado "Origo" : 

Existia há muito tempo atrás, um pequeno mundo, com pequenos seres, mas havia um em especial, que por enquanto seu nome não era importante.

Era um planeta pequeno, realmente pequeno. Existiam milhares, bilhares... bem... muitos seres vivos viviam ali. Apesar de muitas pessoas viverem ali, poucas eram as que importavam umas com as outras, e o belíssimo mundo, foi se deteriorando cada vez mais. Elas não pensavam que cada ação que faziam, mudava o mundo à sua volta, muito menos que pequenas ações, mudavam grandes coisas.

Alguns, dos poucos seres que viviam ali, sabiam que aquele mundo só era feito de dois tipos de pessoas, os que mudam, e os que são mudados.

Haviam muitas cidades, cidades cheias de pessoas absortas ao que realmente acontecia naquele planeta. Apesar de ser um planeta muito cheio, as pessoas que viviam nele, permanentemente se sentiam vazias.

Um grande número de pessoas, pensava em tirar sua própria vida, afinal, não havia mais graça naquele planeta. A grande resposta de existência deles, estava perdida e esquecida, a biologia incrível do planeta, estava totalmente aniquilada, havia sido destruída pelos próprios nativos do planeta.

Na visão Intergaláctica, naquele planeta, haviam muitas pessoas burras. Não se preocupavam com o futuro da espécie. E os poucos que se preocupavam, nunca conseguiam alcançar o objetivo de levar as idéias aos outros seres, e a maioria das vezes, os outros seres eram ignorantes idiotas.

Um dia, nasceu uma criança nesse planeta, e o Universo olhou para essa criança e viu que nela havia um possível futuro. Ela cresceu e aprendeu a ser o mais incrível ser vivo daquele planeta, multidões o seguiram, pessoas o idolatravam, e ele se tornou um grande exemplo para a humanidade. Depois da sua morte, as pessoas pararam de acreditar. O tempo passou, e eles se perguntavam se realmente aquela criança era quem dizia que era. Duvidaram e se questionaram se realmente ele era quem dizia que era. Ao passar dos anos, sua memória foi deixada para trás.

Populações indígenas daquele planeta, amaldiçoaram o planeta, dizendo que a era terminaria no ano 2012 depois daquela criança ter nascido, e então os seres do planeta se sentiram tão ameaçados pela idéia de ser planeta ser destruído que enlouqueceram, suas idéias, seu atos, eles tiravam a vida de sua própria espécie. Sociedades secretas se reuniam e falavam sobre tirar a vida de milhões, ou começar uma nova guerra, seguindo a filosofia de que aquilo era o destino da raça humana.

Afinal, era sim o grande destino? A raça humana se mataria? A natureza dos humanos, era destruir a si próprios? Todos se perguntavam isso em suas mentes, mas nunca conversavam sobre isso, muito menos pensavam um pouco sobre a idéia de se auto-destruir, se realmente havia lógica em construir bombas para explodir o próprio planeta.

Idéias surgiam na mente de grandes líderes, e o que eles realmente queriam conquistar outros planetas, para que assim, as bombas não pudessem influenciar no próprio planeta. Se eles estivessem em planetas diferentes, com certeza, guerras já haviam começado e lutas sangrentas por domínio e uma falsa idealização de "poder", já teriam se iniciado.

Aos poucos, o tempo passou naquele planeta em que os seres viviam pelo tempo.

Lutas sangrentas e bombas iniciaram a terceira guerra mundial dali. E então, eles não pensaram nas consequências e acabaram explodindo o próprio planeta.

O planeta e os seres que viviam nele, foram esquecidos e com o passar dos milênios, nem havia vestígios de que um dia eles haviam existido.

O mais belo planeta de todo o Universo havia sido esquecido.

Muitas Eras depois, um viajante do tempo surge do nada, em um planeta esquecido...

2 comentários:

  1. Escrevi um livro também, mas não cheguei a terminar por causa da depressão. Ele está para download lá no blog.
    Obrigado pelos seus comentários. É pena que as pessoas que me achem bacana são sempre as distantes.
    Eu aprovei seus comentários lá, mas um deles não apareceu. Pode ser que apareça depois. Um forte abraço. Estou seguindo.

    ResponderExcluir
  2. Muito bom!! Dá pra fazer uma série de analogias... Espero a continuação.
    Bye!

    ResponderExcluir