A Encruzilhada

by domingo, setembro 05, 2010 3 comentário(s)

E então você percebe que era aquela hora. Aquela era a hora, a única hora que faria tudo ser diferente, ou não. Mas mudaria algo.

Sempre nos deparamos com escolhas. Escolhas, que são perpétuas e primordiais. O mundo está mesmo em nossas mãos? As escolhas vão levar a realmente caminhos diferentes?

Não sei. Aliás, ninguém sabe, e se soubesse, não haveria muito sentido.

Todos já passamos por momentos em que você olha para ele, e nota que aquela era a hora, a hora de tornar tudo diferente. Ou foi a simples vez que deixou tudo como está, e se abrigou em seu casulo de solidão.

Talvez fosse melhor do outro jeito, talvez não. Mas é interessante notar, que cada ser humano passa por um caminho. Assim como caminhos não são repetidos, caminhos só são parecidos, mas nem sempre o resultado é o mesmo.

A simples idéia de que tudo podia ser diferente, ou a simples curiosidade de saber como seria se tudo fosse diferente, faz-nos olhar para o outro lado do espelho. Um lado escuro, mas bastante criativo.

Nada, tudo, são variáveis simbólicas e o que importa mesmo, é a bondade. Que acima de tudo, não é equilibrada, é uma força muito superior ao próprio equilíbrio e a própria idéia humana de bondade.

Com evoluções, contradições e alguns erros, meus textos são compostos. Com eles cresço, e armazeno minhas idéias. Que seja bom.

Nem sempre há fim, mas sempre existirão lágrimas.

3 comentários:

  1. Não creio que todas as nossas escolhas sejam perpétuas. Todas elas sem exceção mudam algo em nossas vidas, mas nem tudo é irreversível. Pra cada escolha que fazemos sempre geramos outras escolhas e assim por diante. Acho eu.

    ResponderExcluir
  2. As escolhas nunca são simples. A insegurança, geralmente, amedontra qualquer pseudo decisão. E esse lado escuro de que falou... Faz com que o ser humano reflita em sua vida e evite repetir algum erro.

    Obs: Os dois últimos parágrafos estão ótimos!!

    ResponderExcluir
  3. Escolhas, caminhos, decisões...tudo tem mais valor, mais sentido, mais "peso", pois geram consequencias...a decisão quando é tomada ela perpetua, segue, deixa rastro. Por este motivo que é dificil (as vezes nem tanto)...como já diria a famosa frase teatral "ser ou não ser..eis a questão". Lembro que "não ser" também é uma escolha, uma opção, portanto gera consequencias.
    As vezes as decisões mais simples, como atravessar uma rua, pegar o avião, chegar atrasado na reunião, pode mudar o "destino" ou o que pensamos dele.
    Enfim, achei o blog por acaso e já adicionei no meu favoritos...espero que possamos trocar figurinhas, pois se colocasse tudo que penso sobre o assunto daria muito mais que um comentário! rs
    Somos o que decidimos ser...o que escolhemos ser??

    ResponderExcluir