Algumas Poucas Vírgulas

by domingo, novembro 14, 2010 1 comentário(s)

Um ponto.


Tudo na vida começa com um ponto, e a partir dali, apenas vírgulas.

O coração acelera, é a hora do primeiro beijo. Normalmente deveria ser especial, algo dado em um dia especial que o orvalho estivesse frio e úmido, mas que o sol ardesse em chamas suaves, iluminando através das árvores. Mas não, aconteceu em uma festa. Uma festa cuja existência fora esquecida, mas o que aconteceu nela, e quem participou do que aconteceu, nunca esqueceu. Cortando o cenário e outros detalhes, o beijo durou 10 segundos e fora o beijo mais nojento, sem graça e cheio de desgosto de toda a vida dele. O garoto, no mínimo, um pervertido maldoso, assistia a tudo, e mandava a garota ficar com os outros, a testava, testava até onde ela iria por ele, a manipulava com deveras facilidade. Assim como muitas outras.

Vírgula.

Ele estava sentado. Esperando por ela. Quem? Nunca se saberá, mas ela não foi naquele dia.

Vírgula.

Nova escola, nova visão, nova expressão... Novas amizades?

Vírgula.

Acabou-se a festa. Algumas semanas depois. Ela dançava sozinha... A luz piscou e acendeu algumas vezes e então havia outro humano com ela. A música estava bem alta, tão alta que seus ouvidos doíam. Ele se aproximou, e a chamou para fazer uma coisa, mas ela é apenas mais uma hipócrita, e ele pensa que realmente não vale a pena. Agora, talvez ela não quisesse pois queria separar as coisas, os lugares, os sentimentos, uma festa da vida real, mas logo ele nota que é apenas um senso de otimismo. Ela continua com o humano...

Vírgula.

A dança foi interessante. A festa foi interessante. Valsa é um dos "fortes" dele. E apesar dela parecer bastante feliz e esperançosa, realmente meses passam, e ela não faz nada por ele. Não valeu a pena.

Vírgula.

Apresentada por uma amiga. Seus gostos, suas atitudes e seu humor sarcástico são deveras interessante. A primeira rosa, de ambos, tanto dada, quanto recebida. Sem muitas palavras, na escadaria de uma igreja construída na direção do sol. Muitos meses, se encontrando e conversando, passeando, etc... Aniversário do um amigo dele, tudo acaba. Melhor assim, hipócrita demais, ele diz...

Vírgula.

Verdades e mentiras. Testes consolidados, elementos relevantes. Ambiente incrível e interessante. Ele acha que tudo está ali, tudo é ali e sempre será. Não. Engano, tudo é apenas o começo...

Reticências...

Um comentário:

  1. Que texto irado! Dá pra devanear bastante com o explícito e implícito de cada frase!

    ResponderExcluir