Divagações Sobre Religião

by domingo, janeiro 30, 2011 1 comentário(s)

"Nem estou falando muito com o possível cara que mora lá em cima"

"O possível?
Por que não?
Ele não existe?"


"E se? Não = Ótimo. Sim = Ótimo. A existência dele é imprecisa e desnecessária. Nós é que fazemos nossa realidade."

Tanto faz se viemos dos mares através da evolução.

E tanto faz se teve um maluco ajudando na evolução, ajudando aqui e ali. Eu sei que para um fósforo acender, é necessário alguém riscar. Por isso mesmo que não acredito que, em um Universo imenso estamos sós.

"Eu faço o que quero, quando quero, porque quero."

"É? E quando vc chora é por que quer chorar?"

"De certa forma sim, se você desviar seu pensamento para outro lugar, isso não acontece."

Talvez outra população veio antes de nós, tanto que existem tecnologias que nem sequer desconfiamos como foram feitas, Stonehenge, Pirâmides.

Além disso, é uma discussão eterna, até que um dos lados admita estar errado. A experiência de viver é incrível de qualquer jeito.

"Mais as coisas mudam quando vc entrega a sua vida nas maos dele"


"O que é entregar a vida nas mãos "dele"? Esperar as coisas acontecerem? Viver através do tempo, sem demonstrar razão, sem ser racional?"

O problema da religião é a comodidade. Se você quer algo, busque. Se existe um deus que ele abençõe. Se não existe, você vai buscar do mesmo jeito.

O que ainda sustenta essa discussão é o papa não admitir que a igreja se fundou em uma farsa. Na mitologia grega eles "admitiram" eram mitos para aconselhar a sociedade.

Nada é verdade, tudo é permitido. Isso aumentaria exponencialmente o número de mortes por suicídio e também aumentaria o número de pessoas bem-sucedidas.

A vida é absoluta.

Um comentário: