Humanidade

by sexta-feira, janeiro 07, 2011 0 comentário(s)

À medida que a história cresce e se torna cada vez mais velha - e imortal - existem coisas que nunca mudam, como a ignorância dos pais e a infantilidade dos filhos.

As idéias e os ideais se desenvolvem e então se alteram de tal forma que cada um tem seu próprio sentido de vida, além de ter seu próprio caminho e escolhas.

Além disso tudo, deve-se notar que a existência se torna cada vez mais obsoleta depois que foi criada a inteligência artificial e os robôs.

Ah, espere, ainda não foram criados? De qualquer forma, nos tornamos obsoletos. Apenas mais um número em uma contagem, mais uma estatística, mais um humano que joga lixo no chão, chora por amor, pensa que amor é tudo, ou que trabalho é tudo, enfim, um humano. Pelo menos alguém fica feliz, mais lucro para a indústria e o comércio.

A solidão mascarada de felicidade e amizade distribuída pela tecnologia é irreversível e doentia, a ponto de criar barreiras tão grandes na existência humana que quase ninguém pode rompê-las.

As idéias criadas na escola destroem-se simultaneamente quando sufocadas por professores incopetentes. E na escola, que seria um lugar para aprender a voar, é um lugar para aprender a andar com os pés fixados no chão.

O significado de ser humano se perde a cada segundo, e o sentimento humano se esvai a cada instante. Nos tornamos robôs de nossa rotina, robôs que vivem através do tempo, e não no tempo.

0 comentário(s):

Postar um comentário