Caminhada

by segunda-feira, julho 18, 2011 1 comentário(s)
O céu azul se foi, a estrela que brilhava à minha volta sumiu,
Sequer uma, ou sequer várias, a única coisa que ilumina meu caminho agora,
Perante à meu próprio labirinto, Sou Eu.

Ele está um pouco diferente,
Não lembro-me de haver tantas pedras à serem passadas,
Ou tantas idéias à serem encontradas enterradas.

Assim como o bem em mim se tornará uma máscara,
Toda a complexidade me dominará, e não há nada ou ninguém para mudar isso.

O caminho para a imortalidade é curto e variável, e é muito pouco provável encontrá-lo,
Mas é o objetivo à ser seguido.

Um comentário:

  1. "Não lembro-me de haver tantas pedras à serem passadas".
    Geralmente só percebemos as pedras quando já estamos pisando nelas há tempos.

    ResponderExcluir