Peripécias

by quarta-feira, agosto 03, 2011 2 comentário(s)
Já amei, já fui amado.
Já chorei e dei motivos para chorar.
Já sorri e vi sorrisos fantásticos.

Escalei montanhas mais altas que meu ego,
Beijei lábios doces como mel,
Senti o carinho sincero e também o sofrimento austero.

Esperei passar o tempo, mudar o espaço,
E vi que tudo passa, tudo muda,

Mas dentro de cada ser,
O que passa não é tempo,
É pensamento.

O  que muda não é o espaço,
Na verdade, nada muda,
Fica lá guardado entre idéias e peripécias,
Entre caminhos e carinhos,
Medo e fúria.

Aprendi duramente que não se muda o destino,
As palavras escritas nele foram fixadas através do tempo,
Não se muda a vida, não se muda nada.

A vida universal já foi escrita,
Talvez em um livro enterrado abaixo de nossos pés,
Ou perdido através do espaço.

O mais interessante é descobrir o que está por vir.

"Coloque-se um ideal,
E siga-o até o final."

Croatt

Conceito

2 comentários:

  1. Eu não acredito em destino ou vida imutável. Não existe futuro exceto o que nós mesmos fazemos.

    ResponderExcluir
  2. Acredito que seja imutável, porém, não significa que deixemos de criar nossos próprios caminhos, mesmo que já tenham sido previstos.

    ResponderExcluir