O Começo

by segunda-feira, outubro 03, 2011 0 comentário(s)
No começo, realmente muito pouco existia, em comparação com os dias atuais.
Na verdade, não existia nada. Completamente vazio e absolutamente profundo.
As escolhas que se sucederam criaram todo o Universo.

Existem significados aos quais não devem ser entregues, e significados aos quais verdades devem ser escondidas.
Existem coisas que se deve dedicar tudo que puder, e existem outras que você percebe o quão diferente deve agir.
Novas escolhas, novos motivos, novas realidades, nunca repetidas.

A partir dos anos, existem traços e qualidades que perduram pela vida inteira.
Mas existem coisas que devem ser escondidas profundamente, tão profundas que nem sequer alguém que procuraria durante anos,
Poderia encontrar. Em todo Universo, existe tanta inconstância e ausência de matéria que até mesmo dentro da cada um,
Dento de cada ser, existe um Universo relativamente cheio. Porém cheio de idéias e sentimentos confusos.

Vejo o quão as coisas mudam, vejo o quão relativo, e às vezes o quão superficial algumas coisas possam aparentar ser.
Suas ações, seu pensamento, mudaram, mas vejo um desespero em seus atos, vejo desespero de seu ser.
Vejo o meu desespero.

E entre exibir tudo que sinto e ocultar tudo que sou. Prefiro ocultar o que sou.
Ocultar atrás das névoas de meu passageiro sombrio,
O desejo por sangue, o desejo por existir apenas por instintos primários.

Vejo a beleza de seu caos fluir para fora. A roubei completamente.
Seus últimos suspiros de vida, ao ceder perante as estrelas.
Vejo o começo.

As coisas tendem a serem incríveis, os momentos são absolutos e os sorrisos... Incomparáveis.

Os seres são seus meros limites, a imaginação suas maiores maldições.
O tempo é um grande inimigo, que deve ser respeitado.

Afaste-se de tudo. Se encontre. Viver e Aprender.

Croatt

Conceito

0 comentário(s):

Postar um comentário