Permitir-se Sentir

by sábado, outubro 22, 2011 1 comentário(s)
Algumas vezes, tenho tendência a me afastar por impulso.
Afasto para não sentir, afasto para não ver, seguindo o velho conselho.

O corpo reproduz o que mente já sabe, o que a mente já sente,
Ou a mente reproduz o que o corpo sente, o que o corpo já sabe.


O coração é um órgão que como um bobo da corte, brinca, faz piadas,
Mas acaba, que por ser o maior palhaço, demonstrar toda a felicidade,
Carrega tristezas mil, não só de si, mas as que foram deixadas com ele.

Respiro fundo. Jazia em um ponto muito distante um homem e uma mulher.

Tal homem disse certa vez, que o sol pertencia à ele.
E tal mulher, disse então, que a lua pertencia à ela.

Então, assim era,
Ele morava no sol, aquecia, crescia,
Voava entre erupções solares e fazia da existência do sol,
Apenas um brinquedo perante seus dedos,
O poder do sol, na palma da mão.


Ela morava na lua, e em todo seu frio,
E em todas as suas crateras e montanhas, ela tinha dois lados: A Face Clara, e A Face Escura.

Sobre o sol, sempre, existiu apenas um ponto de vista: A Face Clara, que era iluminada pelo sol.
Mas a curiosidade, rara e maldita curiosidade o fizera sair do sol.
Queria conhecer além, queria conhecer a face escura da lua,
Queria até mesmo estar alguns dias entre suas crateras, suas marcas e pontos.

Sob uma perspectiva abrangente, não eram nada mais, nada menos do que meros seres,
Brincando de mera existência, como imaginação de duas crianças, como existir de seres que nem a si entendiam.

Mas a partir que a realidade se releva, você conhece todas as camadas que a compõe.

A realidade é dividida entre 7 camadas.

A 1ª é o que entendemos que ela seja a partir do conhecimento básico, como religião, são as bases primárias.
A 2ª é o que você aprende pelo caminho, são as coisas que vê, ouve, e prova, tudo que aprendeu a partir do tempo, ou melhor, do espaço.
A 3ª é o que você é forçado à aprender por um senso comum de realidade.
A 4ª é invisível aos olhos alheiros, pois é a que você cria, a partir das três primeiras.
A 5ª é invisível aos seus olhos, ou aos olhos da maioria, pois são as realidades dos outros, junto à realidade em sociedade.
A 6ª é uma mistura da sua realidade às outras, e o real valor da vida de cada um em um mundo orgânico e absoluto.
A 7ª apenas poucas pessoas vêem, e por enquanto, eu não a vejo. Mas já a vi... É incrível.

Todas elas são criadas a partir de nós. Porque haveria de ser diferente e desistir de tentar mudá-las?


Um comentário:

  1. Impulsos sempre existiram enquanto se for humano suficiente para errar aprender com o erro e acertar, assim, como sempre existirão pedras no caminho para demonstrar que nada é perfeito exteriormente e que as palavras ditas podem ser sessadas com um só sorriso, assim, como a lua e o sol, distantes mas não esquecidos.

    ResponderExcluir