O Final do Amor

by quarta-feira, novembro 16, 2011 2 comentário(s)

Existia em um lugar muito distante - em uma história longínqua e talvez a mais sentimental possível - três pessoas.
A história por trás dessas três pessoas, envolvia uma garota perdida e dividida entre sentimentos,
Dois homens que sabiam o que queriam, até o momento em que a garota se aproximasse deles de alguma forma.

O coração é enganoso,
E embora tais homens soubessem de tal coisa, um deles era fraco,
E o outro apenas não queria deixar morrer sua parte humana.

Porém, tudo se decidiu. O homem fraco ficou com a garota.
Mas algo precisava ser corrigido, aquela existência deveria acabar ali e agora.

O homem pouco humano pegou sua arma, e em um dia ensolarado, atirou no homem fraco que estava com a garota naquele momento.
A garota se perguntou "Porque?", ela o amava, e viu todos seus sonhos destruídos com aquela morte, sua vida estava perdida.
O homem pouco humano apontou a arma para ela, e disse "agora, você irá morrer", e ela ficou mais calma, preferia a morte do que viver sem seu amor, afinal, ela nunca teve medo da morte, de qualquer maneira.
Então, o homem pouco humano mirou sua arma para sua própria cabeça, e atirou.
A garota ficou petrificada. Mas após alguns instantes, pegou a arma, e atirou em sua própria cabeça, explodindo seu cérebro para todos os lados.

Sabe, algumas histórias são curtas, algumas longas, mas a maioria existe dor, são trágicas e algumas sangrentas. Então espere pela dor.


A garota, poderia ter um motivo para viver: Vingança. Mas então, o homem destruiu os únicos dois motivos para quem vive por sentimentos: Amor e vingança.

E nada restou.

2 comentários:

  1. Orgulhosamente programei uma 'chamada' para este ótimo artigo no novo site dos Blogueiros do Brasil. O post será publicado dia 18/11 às 14h .

    Considere a possibilidade de atualizar a URL no nosso banner. Desculpe-me pelo transtorno.

    Abraços cordiais.

    ResponderExcluir
  2. Não creio que o coração é enganoso. São as pessoas que são ingênuas mesmo, pra não dizer burras.

    ResponderExcluir