Nada 2

by quarta-feira, novembro 28, 2012 1 comentário(s)
Sinto cá dentro,
Coisa que nenhum olho vê,
A dor que tenho em mim,
Trago sempre no peito.

Não que seja uma dor sem fim,
Mas sim a ausência dos 99.
Meus olhos pesam com as águas
que se acumulam ao longo do tempo.

Noto que o céu ainda é azul
e o tempo ainda é bom.
Penso nos sonhos que tive,
mas principalmente nos que perdi.

Será esse o final, onde estão as batatas fritas?
Ou talvez não venci, apenas fui vencido
pela batalha eterna que é viver.

Existe um desejo de me isolar,
me ver caminhando sozinho em direção ao infinito,
Quem é você, que me encontra aqui, em pleno infinito?

Pressinto a perda e vejo que as estrelas se afastam,
posso ver o mundo colidir e a superfície do lago se revelar, profunda,
mas como posso alcançar o fundo, se tudo que sei é nadar no raso?

Um comentário: