Porque Dói?

by quinta-feira, dezembro 18, 2014 0 comentário(s)
- Dor e Passado -

Um novo passado existe em cada segundo que passa.
Nossas memórias armazenam tanto passado quanto possível.
Mas porque relembrar o passado dói?
Porque não se pode viver no passado? Revivendo memórias eternas?

Quero começar esse texto fazendo uma reflexão.
Com muitos dias de vida, uma senhora mais velha perde suas memórias.
Essa senhora lembra de sua história, lembra de sua inocência na juventude,
Lembra de seus pais, há muito falecidos, e se lembra principalmente dos queridos que um dia deixaram de existir.

Então, por tudo isso pelo que ela passou, podemos supor que ela tem uma dor imensa?
Uma dor imensurável de 80, 90 anos de passado?

- A dor é imensurável? -

Antes de dar o próximo passo, devo esclarecer uma coisa que será fundamental no restante do texto.

No nosso Universo existem dois tipos de grandezas: Mensuráveis (que podem ser medidas ou calculadas - também chamadas de Grandezas Físicas pela Física) e imensuráveis (que não podem ser medidas).

Falando didaticamente, uma grandeza mensurável que qualquer pessoa sabe medir é a altura.
Qualquer um pode medir a altura, mas para cada pessoa que medir e para cada instrumento usado, uma medida diferente será encontrada.
Porque isso? Porque cada um olha de um jeito, porque cada pessoa analisa o Universo da própria forma, porque alguns sabem medir com uma fita métrica e outros não sabem tão bem.

A grandeza imensurável que quero considerar aqui é a dor. "O quê? Você está misturando ciência com sentimentos?" Sim. Isso é totalmente possível. Não existe uma linha que impede sua interação. A linha só existe na tua mente. Mas, até que ponto a dor é imensurável? É claro que para algumas pessoas, a dor será interpretada como infinita. Enquanto pra outras é uma dor nostálgica em relação ao passado.

Agora que você sabe isso sobre como a Física é tão simples e pode ser aplicada em qualquer coisa, voltamos para a senhora. A dor dela, vista de fora pode ser imperceptível para mim. Mas para ela pode ser a maior coisa do mundo, com todo o passado aglutinado em milhões de momentos.

- A Imersão -

Outro ponto antes de dar o próximo passo, pode ser chamado de Imersão. Conheço muitas pessoas que vivem e revivem novelas, assim como filmes e fotos. Eles assistem aqueles momentos, podendo revivê-los e repeti-los milhares de vezes. Sentem tudo que sentiram, como se estivessem lá. Isso é ao mesmo tempo a maior beleza e a maior droga. É um vício, se torna um vício.

A Imersão faz-se esquecer do presente, da vida atual e mergulha-se em um labirinto de emoções e coisas que deveriam ser proibidas. É importante fixar-se no presente, porque se não ele passa e será apenas mais uma dor.

- Porque então? -

Imergir no passado é perigoso e insensato. O passado é doloroso porque ele não pode acontecer novamente.
Relembrá-lo é também deixar de viver.
É como re-assistir velhos filmes a vida toda, como sempre voltar ao começo já estando no meio do caminho.
Imergir em si mesmo, é, como pude comprovar, relembrar o passado mais e mais profundamente.

O passado é o labirinto que você já passou.
Talvez se você se encontrar em um beco sem saída, tem que dar meia-volta e voltar por onde veio.
Mas na maioria das vezes, você só deve continuar. Se você resolver fazer todo caminho de volta...
... você se perde nele, sem saber se conseguirá novamente encontrar o caminho em que se vai adiante.

A dor interna é mensurável, porém pode ser medida e colocada em quantidades apenas por quem a sente.
O desafio da humanidade nesse século e nos próximos é entender a dor dos outros.
É ter empatia. Não fingir que entendeu, nem dizer "ah, que bom, você vai melhorar".
É sentir. Sentir.

Dói porque no caminho por onde você passou, cresceram espinhos.
Para de doer quando você começa a viver. Quando você decide viver.

Croatt

Conceito

0 comentário(s):

Postar um comentário