Música: féu

by quarta-feira, abril 22, 2015 0 comentário(s)
Improvisação entre: (C#m/G# B6sus4 F#11/E (E)) e (C#m/G# C#m7/G# A A6)

Vejo o oceano sem fim
Ele se choca contra as costas de marfim
Dias parecem poeira
Escondendo a estrada e sua beira
Vidas deixam de ser inteiras com verdades nunca ditas
Sento-me agora na beira da encosta
Por um momento conto-lhe uma história

Lembro do lugar onde estivera outrora
Parecem anos, mas são só os seus cabelos cobertos por um pano
A chuva lá fora não cessava de cair, embarca os sentimentos do porvir

O tempo permanece cruel, meu peito é feito de féu
Ergo meu escudo, brando minha espada
Mas cavaleiros mortos, não sobrevivem às alvoradas

Estou longe de casa, trapos e farrapos são minha armadura
Pois nada mais me protege do quanto a vida é pura

--

eric felipe

--

0 comentário(s):

Postar um comentário