engravatado - 2min de leitura

by quinta-feira, dezembro 15, 2016 0 comentário(s)


Árvores crescendo no topo dos prédios
Iluminação absoluta durante a escuridão
Vidros azuis que refletem o exterior
Estruturas construtivas absolutamente fascinantes
Verticalização, integração urbana absurda

Quem me tornarei em dois meses?
Me pergunto se em meu eu do futuro
Ainda haverá algo de mim

Se não houver?
Meus amigos ainda irão querer conversar comigo?
Absorvo demais do lugar onde estou
Me adapto demais

Mergulho nessa fase totalmente desconhecida
Ergo-me cheio de dúvidas e inconstância
Serei eu, ainda humano?

Engravatado, visto meu corpo
Minha alma coberta
Minha cabeça aberta
E o que resta?

Me diz, em seu coração, o que resta?

0 comentário(s):

Postar um comentário