Sobre a solidão do momento presente

by segunda-feira, novembro 06, 2017 0 comentário(s)

E quando chegamos ao topo do mundo que sempre desejamos chegar,
Existem outros topos a alcançar. O que nós, meros humanos quisemos escolher?

E as dúvidas que começam a surgir a cada momento, se estamos realmente prontos pra essa experiência, estamos prontos para ser invadidos por ela? Será que temos que nos perguntar um pouco mais, até começar a duvidar?

Temos força, temos uma infinidade de pequenos instantes dentro de nós.
Como podemos durar, se somos feitos naturalmente de um material que é perene?
Quando temos todas essas perspectivas e decisões para lidar.
Como se mover, quando o mundo inteiro é um milhão de armadilhas?

And we dance, we play, we say sorry for ours dreams, we try to be whatever we ever wanted to be.
And then, my darling, we start to say sorry for even exist. 
But how we can fly above all?
How we could be whoever we always wanted to be?

É como se estivessemos presos em nossos próprios mundos.
E em um instante, fôssemos atirados pra longe de quem somos.

Mas e afinal, quem somos?

0 comentário(s):

Postar um comentário